sexta-feira, 25 de julho de 2014

Asas

Trago o coração debaixo da asa,
Suave vento que me eleva.
Incógnito, estranho, inexplicável
Mas constante, intenso, inexorável.

Trazem as minhas asas o vento que as leva
Traz o vento o céu que navego
Traz o céu o sentimento a que me entrego

E fá-lo sem razão.
Fá-lo por capricho.
Fá-lo por afecto.
Fá-lo pelo que quiserem que o faça,
Independente do voo.

Alto, bem alto, imerso em nuvens
Onde nada tem de fazer sentido
Gosto de ti
Só porque sim.


                                                            



Sem comentários: